quarta-feira, setembro 27, 2006

Incógnita

Aproximam-se as eleições no Brasil. Atrás de tanta beleza esconde-se o país mais violento do mundo. A criminalidade mata mais pessoas no Rio de Janeiro do que a violência na faixa de Gaza (espanto)... a guerra do Iraque faz menos vítimas do que a marginalidade no Brasil (tragédia)... a ONU está a enviar tropas para o local errado!



Os militares podem voltar, são eles que combatem a violência!

19 comentários:

Mina disse...

Estive lá este ano em trabalho... não me senti segura. Talvez fosse só impressão minha... mas não me pareceu. Houve assaltos, e não mais do que isso porque íamos avisados. Fora se não fossemos.
Obrigado pela visita ao meu Space. Volta sempre :)

Haddock disse...

Saudades do Color ou do Henriques?

francis disse...

Paraíso turístico, inferno social. Infelizmente a vida não é como uma telenovela. Qualquer cidadão em qualquer parte do país tem um alvo marcado nas costas.
... e nós começamos, tarde mas ainda os apanhamos.
Obrigado pela honra da visita.
Quem vem por bem é sempre benvindo :-)

Andreia do Flautim disse...

Antes de mais obrigada pela visita, aparece sempre!

Pois é no Brasil aquilo é o Deus me livre, corremos o risco de sermos assaltados e nos levarem até os dentes!

Cucagaio disse...

Qual incognita? Apesar de todos os escandalos, o ex-sem terra, ex-comunista, ex-trabalhador, ex-homem do povo, ex-sindicalista, ex-tudo e mais alguma coisa, vai vencer.

pequenita (quando o teu corpo e o meu) disse...

brigada pela visita ao meu cantinho :o) tb te vou linkar...eu gostava imenso de ir ao brasil mas essa violêcia faz-m pensar duas vezes se irei de ir ou não!!!
Kissesss

thalie disse...

ola joao!!
Caí aqui sem saber, mas tive uma agradavel surpresa!!
Gosto muito do teu trabalho. Parabéns.
Brasil, pais de sonho, mas realidade / pesadelo.
fica bem.

Thiago Forrest Gump disse...

João! Eu acho que São Paulo é ainda pior. Pelo menos está! Infelizmente a imensa maioria dos políticos são farinhas do mesmo saco e contribuem com a situação largada do país!

Com licença, mas dá uma lida nisso:

[Entrevista com o chefão do tráfico de drogas, Marcos Herbas Camacho (Marcola).
Marcola é o chefao do PCC, significa "Primeiro Comando da Capital", uma facção criminosa de São Paulo, tão poderosa quanto o "Comando Vermelho", no Rio.
São esses grupos que controlam o tráfico de drogas e de armas no país, planejam rebeliões em presídios, estão por trás do crime organizado que deteriora a sociedade.
Vejam a que ponto chegamos... É vergonhoso e ridículo ver que um bandido como ele é mais culto e bem informado que a maioria de nós. E com o presidente "culto e bem informado" (que afirma não saber das tramoias que ocorrem na sala ao lado) que temos, já viu, né?
LEIAM...
23/05/2006 - O GLOBO - Editoria: Segundo Caderno]

- Você é do PCC?

- Mais que isso, eu sou um sinal de novos tempos. Eu era pobre e invisível... vocês nunca me olharam durante décadas... E antigamente era mole resolver o problema da miséria... O diagnóstico era óbvio: migração rural, desnível de renda, poucas favelas, ralas periferias... A solução é que nunca vinha... Que fizeram? Nada. O governo federal alguma vez alocou uma verba para nós? Nós só aparecíamos nos desabamentos no morro ou nas músicas românticas sobre a "beleza dos morros ao amanhecer", essas coisas... Agora, estamos ricos com a multinacional do pó. E vocês estão morrendo de medo... Nós somos o início tardio de vossa consciência social... Viu? Sou culto... Leio Dante na prisão...

- Mas... a solução seria...

- Solução? Não há mais solução, cara... A própria idéia de "solução" já é um erro. Já olhou o tamanho das 560 favelas do Rio? Já andou de helicóptero por cima da periferia de São Paulo? Solução como? Só viria com muitos bilhões de dólares gastos organizadamente, com um governante de alto nível, uma imensa vontade política, crescimento econômico, revolução na educação, urbanização geral; e tudo teria de ser sob a batuta quase que de uma "tirania "esclarecida", que pulasse por cima da paralisia
burocrática secular, que passasse por cima do Legislativo cúmplice (Ou você acha que os 287 sanguessugas vão agir? Se bobear, vão roubar até o PCC...) e do Judiciário, que impede punições. Teria de haver uma reforma radical do processo penal do país, teria de haver comunicação e inteligência entre polícias municipais, estaduais e federais (nós fazemos até "conference calls" entre presídios...) E tudo isso custaria bilhões de dólares e implicaria numa mudança psicossocial profunda na estrutura política do país. Ou seja: é impossível. Não há solução.

- Você não tem medo de morrer?

- Vocês é que têm medo de morrer, eu não. Aliás, aqui na cadeia vocês não podem entrar e me matar... mas eu posso mandar matar vocês lá fora... Nós somos homens-bomba. Na favela tem cem mil homens-bomba... Estamos no centro do Insolúvel, mesmo... Vocês no bem e eu no mal e, no meio, a fronteira da morte, a única fronteira. Já somos uma outra espécie, já somos outros bichos, diferentes de vocês. A morte para vocês é um drama cristão numa cama, no ataque do coração... A morte para nós é o presunto diário, desovado numa vala... Vocês intelectuais não falavam em luta de classes, em "seja marginal, seja herói"? Pois é: chegamos, somos nós!
Ha, ha... Vocês nunca esperavam esses guerreiros do pó, né? Eu sou inteligente. Eu leio, li 3.000 livros e leio Dante... mas meus soldados todos são estranhas anomalias do desenvolvimento torto desse país. Não há mais proletários, ou infelizes ou explorados. Há uma terceira coisa crescendo aí fora, cultivado na lama, se educando no absoluto analfabetismo, se diplomando nas cadeias, como um monstro Alien escondido nas brechas da cidade. Já surgiu uma nova linguagem. Vocês não ouvem as gravações feitas "com autorização da Justiça"? Pois é. É outra língua. Estamos diante de uma espécie de pós-miséria. Isso. A pós-miséria gera
uma nova cultura assassina, ajudada pela tecnologia, satélites, celulares, internet, armas modernas. É a merda com chips, com megabytes. Meus comandados são uma mutação da espécie social, são fungos de um grande erro sujo.

- O que mudou nas periferias?

- Grana. A gente hoje tem. Você acha que quem tem US$40 milhões como o Beira-Mar não manda? Com 40 milhões a prisão é um hotel, um escritório... Qual a polícia que vai queimar essa mina de ouro, tá ligado? Nós somos uma empresa moderna, rica. Se funcionário vacila, é despedido e jogado no "microondas"... ha, ha... Vocês são o Estado quebrado, dominado por incompetentes. Nós temos métodos ágeis de gestão. Vocês são lentos e burocráticos. Nós lutamos em terreno próprio. Vocês, em terra estranha.
Nós não tememos a morte. Vocês morrem de medo. Nós somos bem armados. Vocês vão de três-oitão. Nós estamos no ataque. Vocês, na defesa. Vocês têm mania de humanismo. Nós somos cruéis, sem piedade. Vocês nos transformam em "superstars" do crime. Nós fazemos vocês de palhaços. Nós somos ajudados pela população das favelas, por medo ou por amor. Vocês são
odiados. Vocês são regionais, provincianos. Nossas armas e produto vêm de fora, somos globais. Nós não esquecemos de vocês, são nossos fregueses. Vocês nos esquecem assim que passa o surto de violência.

- Mas o que devemos fazer?

- Vou dar um toque, mesmo contra mim. Peguem os barões do pó! Tem deputado, senador, tem generais, tem até ex-presidentes do Paraguai nas paradas de cocaína e armas. Mas quem vai fazer isso? O Exército? Com que grana? Não tem dinheiro nem para o rancho dos recrutas... O país está quebrado, sustentando um Estado morto a juros de 20% ao ano, e o Lula ainda aumenta os gastos públicos, empregando 40 mil picaretas. O Exército vai lutar contra o PCC e o CV? Estou lendo o Klausewitz, "Sobre a guerra".
Não há perspectiva de êxito... Nós somos formigas devoradoras, escondidas nas brechas... A gente já tem até foguete antitanques... Se bobear, vão rolar uns Stingers aí... Pra acabar com a gente, só jogando bomba atômica nas favelas... Aliás, a gente acaba arranjando também "umazinha", daquelas bombas sujas mesmo.... Já pensou? Ipanema radioativa?

- Mas... não haveria solução?

- Vocês só podem chegar a algum sucesso se desistirem de defender a"normalidade". Não há mais normalidade alguma. Vocês precisam fazer uma autocrítica da própria incompetência. Mas vou ser franco... na boa... na moral... Estamos todos no centro do Insolúvel. Só que nós vivemos dele e vocês... não têm saída. Só a merda. E nós já trabalhamos dentro dela.
Olha aqui, mano, não há solução. Sabem por quê? Porque vocês não entendem nem a extensão do problema. Como escreveu o divino Dante: "Lasciate ogna speranza voi che entrate!"
Percam todas as esperanças. "Estamos todos no inferno."




Obs: eis a realidade do Brasil! :(
Mas, mudando de assunto, gostei do novo estilo! Gostei também de ter sido linkado como sendo de casa e ainda juntinho com a mwoman! lolololol Agora, quanto ao "velho exacto", espero que não mude muito a forma de postar por aqui! Coloca logo uma foto duma gaja! Senão eu coloco lá! :D

João Mãos de Tesoura disse...

mina: infelizmente esse é o retrato. Eu, por essa razão, prefiro escolher outros destinos, o Brasil que me perdoe!
Volta sempre tu também

haddock: talvez do segundo, mas acho que aquilo só vai à porrada, não com transições doces!


fancis: espero que a apologia que fazes de portugal não se verifique! Volta sempre!

andreia: o Brasil é o país dos tira-dentes, mas hoje é mais conhecido pelos tira-vidas. Sabias que S. Paulo é a cidade do mundo com mais carros blindados? Nem eu!

cucagaio: a incógnita não está no resultado das eleições, mas no que irá acontecer ao Brasil se não travarem a violência! Acho que os militares mais tarde ou mais cedo vão avançar e tomar conta do estado da nação. Afinal são eles que morrem mais no confronto com os bandidos. Triste solução esta!

pequenita: quem não tem medo? Turismo sim, mas com descanso! Benvinda!

thalie: este é um espaço plural! Vem quando quiseres! :)

thiago: já conhecia essa entrevista com o Marcolas líder do PCC. É impressionante a inteligência desse animal, imagina se ele a utilizasse para o bem?!
A violência em S. Paulo é dramática, mas a do Rio também!
O problema está diagnosticado! Qual é a solução?

Miguel disse...

Por esta razão é que eu nunca visitei o Brasil!!

O filme "Cidade de Deus" é um exemplo disso!

Bjks da Matilde

Luna disse...

Não sei, mas penso que não se pode promover a paz com guerras
beijos

mixtu disse...

brasil... e se há país com condições...
lula definitivamente, não...
há um blog muito interessante sobre o brasil, "santa"

abraços monárquicos

vero disse...

Olá João, venho agradecer e retribuir a visita k fizeste ao meu cantinho!Muito obrigada,
volta sempre!!! :)
Beijinhos***

João Mãos de Tesoura disse...

miguel: não vi o filme, vi a apresentação e falaram-me dele. A violência é o mote. Gostava de o ver, mas dispensava vivê-lo!
Abraço

luna: concordo em parte contigo, mas como querias implementar a paz numa Europa envadida pelo Hitler? Vês, a tua lógica é redutora, mas eu percebo-a. O que referi, é que acredito que se o Brasil não encontrar um rumo certo, perderá a democracia para os militares que estão a ficar fartos do descontrolo.
Beijos

mixtu: país com muito potencial, de facto. Não conheço esse blogue, vou ver se o descubro.
Abraços

vero: de nada, o prazer foi meu. Volta sempre!

Cruzeiro disse...

A triste realidade...
Eu estive no Brasil há 4 anos, confesso que não vi nada de especial, nem nunca me senti em perigo, ou com medo, mas no presente é um destino que não escolho, pois férias para mim é sinal de descanso, e neste momento é impossivel alguém estar descansado no Brasil...o que é uma pena, porque é um país lindissimo e cheio de potencialidades...

João Mãos de Tesoura disse...

cruzeiro: não podias resumir melhor o problema!
Beijos

Hugo Denis disse...

É muito deprimente. Ao mesmo tempo importante a intervençao social para acabar com a marginalidade e a violência. O Brasil é um pais muito belo, nao merece isto.

Abraço.

João Mãos de Tesoura disse...

hugo: não merece, é um facto!

Ricardo disse...

Queridos irmãos,
podem vir aqui sem medo de serem felizes. Saberão que o muito que falam contra o nosso presidente Lula não passa de uma terrível orquestração contra aquele que está reduzindo como nunca a desigualdade social, desde que Pedro Álvares no achou por aqui...
Visitem Brasília, uma pérola do modernismo. Visitem Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, minha terra natal, onde o PT - o partido do presidente - governa há 13 anos e transformou uma roça em pólo econômico e cultural. Conheçam Ouro Preto e Mariana, sinatam-se no Chiado. E, se tiverem nacionalidade dupla, como eu, votem Lula em 29 de outubro, para continuarmos no caminho das mudanças!