quarta-feira, setembro 13, 2006

Guerra Santa

Porque será que Radovan Karadzic e Ratko Mladic continuam a monte numa Sérvia cristã? Quem protege Bin Laden num qualquer país muçulmano?

A fé sobrepõe-se a qualquer lógica e justifica os meios. O sacrifício máximo faz parte da cartilha ou não fosse o além o engodo sugerido.

Vivemos tempos de modernidade, de globalização, onde o transcendente continua a superar o real. Os milénios vieram dar razão àqueles que encontraram nesta fraqueza a razão da sua subsistência. Não há maior poder!



Guerra Civil, Salvador Dali


P.S. Um som que nada tem a ver com o tema, mas que desperta os sentidos!

6 comentários:

_+*A Elite in Paris*+_ disse...

Acho que a peste do SECULO XIV é hoje, no seculo XXI, a televisao... entra e nem nos damos conta das mas influencias! por isso quase q nao vejo!

Bisous!

João Mãos de Tesoura disse...

elite: a televisão, no meio disto tudo, é um mal menor. Mas compreendo-te, a qualidade dos programas e a manipulação de alguma informação fazem com que se prefira estar à lareira no inverno ou no terraço no verão! :)

Baci

Eva disse...

Bem queria comentar, mas depois de uma viagem a Ponta Delgada sinto a cabeça num oito! No entanto quero deixar uma nota na minha opinião a fé depende de cada um, dentro de limites aceitaveis, claro está, bem vou deixar-te com um beijinho que estou mesmo a sentir as badaladas da meia noite na minha cabeça.

João Mãos de Tesoura disse...

eva: viagem a Ponta Delgada? Isto há coriscos com sorte! :)
Naturalmente que a fé é a de cada um, o grande problema é o que se faz com ela. Sabes, todos temos fé nalguma coisa, é a nossa verdade. O problema é que cada religião tem a sua e esse pormenor cria um sentimento de superioridade, levando a que se considerem as restantes verdades como parciais. De facto, não pode haver verdades distintas, a verdade é só uma.
Que existe uma explicação para tudo, existe, que essa verdade está muito para além da nossa compreensão, está, mas acredito que a explicação, a que uns chamam Deus e outros Ciência, é a mesma!
Por mim chamo-lhe Deus. Contudo, dispenso o folclore que criaram à volta dele, mesmo se o fim foi nobre, o de preservar os valores, a famíla e a vida como princípios inalienáveis.

João Mãos de Tesoura disse...

Nota: Este blogue tem vários tipos de posts; intimistas, humorados, provocadores, analítcos, etc. Traduz um pouco o meu estado de espírito. Só por isso, este post é fundamental.
Quero saber o que pensa quem aqui passa sobre esta questão central.
Podemos não partilhar do mesmo ponto-de-vista, contudo há posts que merecem ser mais comentados do que outros. Este será certamente um deles.
Como não quero perder a oportunidade de saber o que pensam, deixarei o blogue em banho maria até me sentir satisfeito, ou não.

João Mãos de Tesoura disse...

Nota 2: serei acéfalo, explica-me-ei mal, será o tema desinteressante, estarão os comentadores longe do espírito deste post? Não sei! O que sei é que não consegui o que pretendia, um debate de ideias!