terça-feira, fevereiro 21, 2006

Pensieri

Pertenço a uma pequena raça, a dos que ainda acreditam que vale a pena fazer loucuras por amor. Não, não sou lírico nem falo de excentricidade, mas sei que o que verdadeiramente importa deve ser vivido de forma invulgar. Será que ainda há gente como eu?


11 comentários:

uma amiga disse...

Sim concordo que se deve fazer loucuras por amor, no entanto existem loucuras e loucuras, saber amar é saber compreender o outro, por vezes não conta só dizer amo-te mas sim ver as reações e as acções dos outros, ultimamente sei que tenho sido uma namorada (para o meu namorado) muito ausente, por mais vezes que lhe peça desculpa por isso volto a fazer o mesmo, mas no meio disto tudo uma coisa é certa, sei que ele é o amor da minha vida, mas também sei que não consigo fazer algumas das loucuras que ele esperaria de mim... :(

(bem desculpa lá se este comentário foi um pouco lamechas, mas acho que me fiz entender)

MWoman disse...

Claro que vale a pena fazer loucuras por amor!

Agora se há muita gente como tu, já não sei responder. Mas que anda por aí muito louco, ai anda, anda! Thank God, I must say!

Mas no fundo, (lá muito no fundo!) tu és um lírico! Quem diria, hein?
(pronto, agora é que ele fica azul!)

João Mãos de Tesoura disse...

uma amiga: as loucuras são feitas a 2, mas respeitando a consciência de cada um. Devem, sobretudo, ser saudáveis! Falaste em ausência, isso corrói uma relação. Essa é de facto uma loucura perigosa. Se ele é mesmo o homem da tua vida luta por isso! Aposto que ele faz o mesmo. Boa sorte para os 2!
Beijos

mwoman lá muito no fundo? loooooooooooool M., só tu para me fazeres rir, e sim, fico azul de tanto rir... mas, devolvo o elogio; um devaneio não é uma loucura? Deve ser, ainda bem!
Beijos

Nota: os meus comentários parecem os do professor Neca. Acho que vou abrir uma tenda...

Mendes Ferreira disse...

passei por indicação da Tela (o Rui é sempre atento...) e EXACTAMENTE acho que ainda bem que ainda existem pessoas como TU....


bom dia...

abraço.

Cerejinha disse...

Ainda bem que há pessoas assim...
:-)

NightWolf disse...

O amor é o dá valor a vida, por ele vivemos... somos poucos mas bons :) um abraço!

Thiago Forrest Gump disse...

Mais sobre o amor?

Açores lhe fez bem João! ;)

Luna disse...

existo! Tal como o meu próprio canto o afirma...Louca e Nata :)

Anónimo disse...

Gente kmo tu? Deus me livre, era o k mais faltava...Lirico, a falar de "falo"????? Cá para mim é mas é falta de...tás um "mouro"!!!!Nos meus tempos aureos de estudante, como tu, penso eu de que, não pensavas assim...bolas, mudaste muito.Eras o maior "flipado" que eu conheci, e passamos tão bons momentos juntos...Ainda te lembras???

Anónimo disse...

Pode ser pequena em tamanho essa raça, mas é forte como o amor verdadeiro deve ser. Quando as fazemos não parecem loucuras... é a razão que assim as define depois. Sobretudo quando o amor acaba e o que fica é o vazio e a dor.

Beijos, Elektra

João Mãos de Tesoura disse...

mendes ferreira: obrigado pelo elogio, embora neste meio virtual nos conheçam pelo que nós dizemos de nós... não forçosamente pelo que somos!
Abraço

cerejinha: sei que és assim, não fosse eu teu amigo! Espero que encontres essas loucuras em alguém que te mereça pois tens um coração enorme!
Beijinhos

nightwolf: somos poucos... porra, acreditava que a seita andava escondida!
Abraço

thiago: bom amigo, os Açores foram momento de silêncio e reflexão. Não preciso de me encontrar, mas sabe bem estar só de quando em quando. Na vida, aí sim, prezo muito viver o momento que vivo; sozinho e bom rapaz... bem, o rapaz foi exagero! :D
Abraço

nuno magro: por lapso apaguei o teu comentário! Ainda me perco nestas modernices. Desculpa.
Cascais continua em grande?
Grande abraço

luna: embora não te conheça estou certo que existes. É bom saber que há loucas e natas! Pelo menos sabes que és livre, cantas como queres! Nunca percas esse dom, este espaço é para os amigos e para esta mole de gente que vamos conhecendo pelos comentários que aqui vão deixando. Sem eles, isto seria pouco.
Beijinhos

anónimo/a: era o maior "flipado" que conheceste? Conheceste assim tão pouca gente? Quanto aos momentos de que falas lamento mas não me ocorre nada de importante! A vantagem do anonimato é poder devanear... mas quem sou eu para o impedir! Falem mal de mim, mas falem de mim...

Elektra: amiga, a vida dá-nos muitas oportunidades. Tu tens uma, agarra-a! Não confundas o acessório com o essencial! Torço por vocês!
Beijinhos