segunda-feira, setembro 22, 2008

Surpresa

Há muito que não dormia assim. Hibernara, nada que me fizesse mal, mas a estonteante dor de cabeça não passava. Sim, que isto de dormir demais traz mais mazelas do que sorrisos. Enfim, acordei, dizia. Primeiro foram os pés, esses ficam sempre de fora. De fora do lençol, do colchão, das boxers... de fora de mim! Preciso olhá-los para ver até onde vou. Imenso, sou imenso, e no entanto eles estavam mesmo ali, frios, enregelados, à espera de caminho que os aqueça! Que se lixe, pensei, eu ainda não acordei, e retornei ao sonho que não estava a ter mas que desejava. Mar, barco, um colchão de napa branco sobre o convés, e entre mim e o sol só o ar quente e húmido da Tailândia. Tá tá rá tá tá! Entreabri um olho e disparei, "querem ver que a guerra me veio recrutar?". O despertador tocou com todos os pulmões que um relógio de pulso almeja. Desisto, pensei, antes um duche frio. Levantei-me e num passo mecânico dirigi-me para a casa de banho. As primeiras gotas não fizeram mossa, nem as senti. Claro, ainda não tinha aberto a torneira, mas sonhava com banho! Num raro momento de clarividência optei pelo "inharro", ficaria porco. Regressei ao quarto, vesti o traje da véspera com algum nojo e muita pressa e fiz-me à rua. Os pés, esses, agradeceram. Depois foi caminhar contra a luz da manhã, penoso, sem óculos, no lusco-fusco que os meus olhos semi-serrados me ofereciam. Entrei no café e sentei-me. No meu melhor português - sim, porque de manhã torno-me disléxico - disparo: uma bica curta e um pastel de nata. O empregado, embasbacado, retorquiu: sorry sir? Are you feeling well? Porra, estava há um dia em Londres e nem me lembrava!



Num desafio da minha amiga Cáu, escrevi este post de rompante.
Devia escrever sobre a surpresa... era lá eu capaz de recusar! :)


Acompanhar a Surpresa com outra, um remix de uma música com 24 anos!

7 comentários:

€aµ disse...

Tive que rir... Perdoa!
No fim, foste tu quem viajaste e eu que fiquei com a surpresa. risoss
Beijos, menino das mão de tesoura e da língua ácida.

Andreia do Flautim disse...

=)

mfc disse...

Surpreendeste-me, o que foi muito bom!

Anónimo disse...

Está-se mesmo a ver que o Pub na noite anterior estava animado!;)
Kisses,
Virginia

João Mãos de Tesoura disse...

Cáu: hahahaha! De facto, viajei imaginariamente até Londres. Prefiro quando o faço realmente, adoro aquela cidade.
Dizes que os meus textos são ácidos, mas eu não os quero assim! Vou comprar açucar! lol
Bjs

andreia: e venha a banda toda para animar a festa! :)
Bjs

mfc: o alzheimer não perdoa, até eu me surpreendo! :)
Abraço meu amigo

Virgínia: se estava não me lembro, a ficção não era assim tão grande! :)
Bjs

ivone disse...

Dormir demais atrofia mais a mente que o corpo....
o SONHO leva-nos a todo o lado...
Podemos acordar onde a imaginação nos levar... vai onde te levar o sonho!!! mas vai mesmo!!
gostei...

João Mãos de Tesoura disse...

ivone: dois comentários no mesmo dia, andas sem nada para fazer?
Estive na 6ª no Porto, dia de sol, na Alfândega do Porto a "botar faladura". Gostei, eles é que não! hahahahah!
Bjs Ah! E bibó Porto, carago!