terça-feira, abril 18, 2006

Bardo

Em miúdo insistiram para que fizesse o conservatório. Os meus pais tinham noção que a música era importante no meu desenvolvimento. Eu não, fiquei-me por três anos mal estudados. Hoje sinto a falta deste bálsamo, de poder tocar o que gosto. Em conversa com amigos apercebi-me que dois deles tinham o conservatório completo. Inimaginável, via-os muito mais formais, agarrados a profissões onde o devaneio seria pecado proibido. O desejo despertou!
Fui à net e li tudo o que me foi dado a ver sobre pianos digitais. Após longa triagem cheguei ao Roland RD-700. Oitenta e oito teclas com contrapesos para permitir a mesma pressão e retorno de uma tecla de piano. Centenas de instrumentos e acompanhamentos, divisão do teclado em dois permitindo dois instrumentos em simultâneo, ritmos estonteantes, capacidade de expansão com novos instrumentos e entrada e saída Midi. Estava conquistado embora me tivesse entusiasmado com os Yamaha e os Korg.
Após uma breve pesquisa de lojas e preços encontrei acidentalmente alguém que queria vender um, seria sorte a mais! Telefonei, acordei o preço e nesse mesmo dia veio entregar-mo a casa. Gastei menos de um terço do preço de catálogo e o piano está rigorosamente novo, um brinco! E não, não é roubado, tenho a garantia. Depois foi a descoberta das funcionalidades, o deslumbramento com a pureza dos sons, a vontade de reaprender. Entrou-me uma lufada de ar fresco em casa; os vizinhos não se podem queixar, uso auscultadores...



Desculpa, mas vou ter de te magoar um bocadinho...

4 comentários:

Cerejinha disse...

Safaste-te com a última frase...
LOL

Então boa sorte com o novo brinquedo!:-)

João Mãos de Tesoura disse...

cerejinha: o pior ficou para o fim! :D
Quanto à sorte, é mais "boa sorte brinquedo, vais precisar!". :D
Beijos

MWoman disse...

Ai, vizinho, ainda bem que nos separam um bom par de quilómetros!

Já me basta o "disco-quarto" do meu filho.

Quando me queixo, sabes o que ele tem a lata de dizer?
" Não percebo! Isto é tudo música de qualidade!"

João Mãos de Tesoura disse...

mwoman: pelas minhas contas devem ser centenas, aqui não temos nenhuma celulose! :D O teu filho é sábio, embora ele deva ouvir hip-hop que é algo que vai ser éfemero na história da música.